quarta-feira, 6 de abril de 2011


 A HISTÓRIA DA CAPOEIRA NA PESQUISA DE MATTHIAS ASSUNÇÃO


Luiz Renato Vieira





Em algumas oportunidades, a tarefa de levar ao leitor do blog do Grupo de Estudos de História da Capoeira informações a respeito do debate atual e das publicações recentes sobre a capoeira, nos limites de uma postagem artigo, revela-se complexa. Isso porque alguns livros que aqui comentamos apresentam tal riqueza de conteúdo e demonstram tanto compromisso de seus autores com a produção de conhecimento sobre a nossa luta que qualquer comentário breve parece não fazer justiça à sua importância. Entretanto, como nossa intenção é indicar boas leituras, e não substituí-las, sigamos em frente.

O livro Capoeira: The History of an Afro-Brazilian Martial Art, do professor Matthias Röhrig Assunção foi publicado pela editora Routledge, sediada em Londres e em Nova Iorque, e faz parte de uma coleção intitulada Sport in the Global Society, que traz vários outros títulos interessantes sobre temas como futebol como fenômeno de massas, esporte, globalização e identidade social, esporte e política, entre outros.

Poucos autores enfrentaram de maneira tão bem-sucedida o desafio de escrever sobre a história da capoeira quanto Matthias Assunção. Todos sabemos que o estágio atual do conhecimento acadêmico sobre a história da capoeira – e a grande quantidade de publicações e acervos de informações disponíveis – faz com que o projeto de escrever uma história geral da luta represente uma enorme responsabilidade. Matthias, com o apoio da instituição em que trabalha, a Universidade de Essex (Inglaterra), permaneceu no Brasil mais de um ano dedicando-se exclusivamente à pesquisa em novos acervos, à organização de seus estudos anteriormente realizados e à finalização do livro.

O resultado de todo esse esforço é um texto magistral, estruturado em sete capítulos. Sempre muito bem apoiado na bibliografia especializada e em uma contextualização histórica primorosa, o livro se inicia com o que considero uma de suas maiores contribuições ao conhecimento sobre a capoeira: uma discussão sobre os discursos a respeito da história da luta. Afinal, como historiador experiente, Matthias sabe que a narrativa histórica é carregada de elementos vinculados ao contexto de sua produção, às relações de poder estabelecidas no presente e nos projetos de futuro elaborados pelos grupos humanos que pretendem reconstituí-las. Esse, sem dúvida, é um dos pontos fortes do livro. Para Matthias, a história da capoeira vem sendo contada – pelos historiadores e pelos seus próprios agentes – de acordo com seis narrativas-mestras, fundamentadas em noções como repressão eurocêntrica à prática da capoeira; a busca da “raça brasileira”; a procura da “ginástica brasileira”; a perspectiva étnica, que procura a pureza e as sobrevivências culturais; a narrativa afrocêntrica; e o discurso fundamentado em aspectos regionais, corporativos e de classe social. Essa rica discussão é o foco do primeiro capítulo do livro e, talvez, sua maior contribuição, pois discute os fundamentos sobre os quais vimos construindo nosso conhecimento histórico.

Os capítulos que se seguem abordam a clássica discussão sobre as origens da capoeira. (cap. II), a história da capoeiragem no Rio de Janeiro no século 19 (cap. III) e a antiga vadiação baiana (cap. IV). O capítulo V é dedicado ao Mestre Bimba e à formação da escola da capoeira regional passando, em seguida, à abordagem da codificação da capoeira Angola por Mestre Pastinha (cap. VI). Encerra-se o livro com uma interessante discussão sobre a capoeira contemporânea. (Como vem se disseminando o uso dessa expressão para designar um “estilo”, que estaria fora ou além da dualidade angola-regional, talvez a melhor tradução para o título desse capítulo seja “a capoeira no cenário contemporâneo”). Esse último capítulo, por si só, constitui um estudo de impressionante amplitude sobre o desenvolvimento recente da capoeira no Brasil. Partindo das grandes matrizes do desenvolvimento histórico da capoeira, Matthias Assunção consegue consolidar um número considerável de informações sobre eventos, mestres e escolas compondo um cenário bastante informativo sobre a capoeira no Brasil atual. As páginas finais do volume são dedicadas ao tema da globalização da capoeira.

O livro Capoeira: The History of an Afro-Brazilian Martial Art é o resultado de muitos anos de pesquisa séria e dedicada. Lembro-me que, em 1994, quando cursava doutoramento na Universidade de Paris, fui convidado pelo amigo Mestre Ousado para ministrar workshop em sua escola de capoeira em Londres (Association of Capoeira Argola de Ouro). Nessa atividade, entre os convidados do Mestre Ousado, tive a oportunidade de conhecer Matthias Assunção, que já era um pesquisador consagrado pelos seus estudos sobre o Brasil (principalmente sobre a história da escravidão no Maranhão), mas que se revelou também um entusiasta da capoeira. Não queria se restringir aos estudos teóricos, era e ainda é um empolgado praticante da nossa arte.

O autor informa que está sendo preparada uma edição do livro em português. Esperamos que os editores brasileiros despertem para a importância do tema e permitam ao grande público o acesso a esse importante estudo sobre nossa história e nosso patrimônio cultural.

2 comentários:

mafra disse...

uma edição em português dessa "bíblia" é necessária! Concordo que a limitação de uma postagem artigo poda as possibilidades de reflexão, mas essa resenha ficou muito boa.

Peter disse...

Já estou um tempo procurando os autores e os livros mais importante sobre a capoeira. E só agora comecei ler o livro de Assunção e realmente é o melhor livro que eu já encontrei. Não entendo porque demora tanta para fazer uma tradução em Português.